Processo de Obtenção do Biogás

HOME

A solução para os projetos CTE - Biomassa e Biogás de diversas fontes.

Temos no Brasil, um grande parque produtor de biomassa e biogás, tendo sido recém iniciada sua exploração comercial, com vistas à obtenção de resultados agregadores à atividade econômica, em produção sistemática de Energia, eliminação de débitos ambientais e desenvolvimento de produtos derivativos, com vantagens naturais em sua aplicação no ciclo produtivo. Estes mercados foram firmemente substanciados, com o advento de legislações específicas: Nacional: > PROINFA - Programa de Incentivos às Fontes Renováveis de Energia - Lei 10.438 de 26.04.2002. Desta forma, o programa será implementado, trazendo uma efetiva participação da indústria nacional, no desenvolvimento da energia de fontes renováveis.

Projeção de Mercados Envolvidos nas Fontes Alternativas de Energia.

            Os mercados estão reunidos em três vertentes:

  1. Aproveitamento do Biogás dos Aterros Sanitários:
    1. Geração de Energia diretamente para aplicação na rede pública, tomando-se como base de atividades, aterros sanitários encerrados, com sua formação dentro de critérios industriais, que proporcionem o conhecimento de seu desenvolvimento e possibilidades econômicos de exploração;
    2. Geração de Energia em processo de co-geração, com aplicação de processo de tratamento térmico do churume gerado no aterro, com diminuição de custos para seu tratamento em ETE’s externas; 
  1. Desgaseificação do vinhoto, gerado na destilação do álcool nas plantas alcooleiras:
    1. Obtenção do biogás, por fermentação anaeróbica, em processo contínuo, proporcionando à Usina de Álcool, a eliminação do débito ambiental representado pelo alto conteúdo de DQO do vinhoto, com as seguintes vantagens adicionais.             
Geração de Energia diretamente para a rede pública ou privada;
Aproveitamento do biogás para queima direta na Caldeira e conseqüente substituição de percentual de bagaço a ser queimado; 
Queima direta em Spray-drier, na secagem de leveduras do processo, formando assim, novo produto de comercialização da Usina.
Aspersão do vinhoto tratado devidamente em sua desgaseificação, devolvendo à terra, os nutrientes necessários, tornando o ciclo perfeito de reciclagem de nutrientes na energia agrícola;
Eliminação dos custos advindos com a disposição na lavoura, do vinhoto “in-natura” como anteriormente praticado, custos estes, com corretivos e normalização de Ph da terra, afetado com a formulação do vinhoto “crú”.
  1. Tratamento do Lodo das Estações de Tratamento de Efluentes (ETE’s).
    1. Desgaseificação dos Lodos das ETE’s, principalmente aquelas que estão a cargo do tratamento dos efluentes domésticos, com as seguintes resultantes:
     
    Obtenção do biogás para produção direta de energia na rede, ou substituição de energia em seu próprio consumo;
    Aproveitamento do biogás em co-geração, em projeto de secagem do lodo e sua transformação em Abono Orgânico.

    Tecnologias de Produção Disponíveis no Mercado

No Brasil, o mercado vem sendo explorado por produtores de equipamentos e processos tradicionais no exterior, empregando motores do CICLO OTTO, principalmente da Europa, onde a questão ambiental tem sido tratada há mais tempo, sendo que este tipo de tecnologia tem se mostrado de difícil implantação localmente, tendo -se em conta que a viabilização deste sistema em sua origem, se dá em virtude do alto preço da Energia Elétrica comercializada, principalmente na Europa.

Para viabilização de vários projetos em andamento, há empresas genuinamente nacionais,aptas ao fornecimento de equipamentos e processos para a implantação do processo denominado CICLO AMBIENTAL, cujas principais comparações e vantagens imediatas, seguem-se:

1)       Produtividade em Relação ao Biogás disponível:

CICLO AMBIENTAL:  permite, de imediato, o aproveitamento de todo o Biogás disponível nos Aterros Sanitários para geração de energia;

2)       Custos de Investimentos nos Equipamentos de Processo:

No CICLO AMBIENTAL, todas as instalações são nacionais, produzidas por indústrias com tecnologias experimentadas acima de 50 anos, com fornecimentos extensos nas mais variadas indústrias, como Petroquímicas, mineração, papel-celulose, com ênfase para as Usinas de Açúcar e Álcool em número superior a 370 unidades no país, propiciando ao investidor, O&M garantidas, a custos baixos. Os custos de instalação comparados a outras tecnologias, representam um parâmetro de 50% abaixo, em capacidade similar; no tocante aos custos de manutenção, representam cerca de 70% menos.

3)       Taxa Interna de Retorno – (T.I.R.)

Nos processos em questão, a viabilização dos empreendimentos está ligada a custos de instalação e de O&M, performace e produtividade.

Nas planilhas de projeção da planta, o emprego do CICLO AMBIENTAL, apresenta viabilização, com custos do MWh produzido, de 60% em comparação ao outro processo.

Além de viabilizar com folga o projeto, o CICLO AMBIENTAL também apresenta resultados financeiros satisfatórios e viáveis, mesmo com a comercialização do produto em rede comercial, sem os auspícios da legislação que o subsidie.

4)       Flexibilidade no Regime de Trabalho x Biogás disponível

Nos Aterros Sanitários, por exemplo, a captação de biogás é efetuada por meio de coleta direta dos tubos do aterro, muitas vezes pode ser prejudicada, por problemas ligados a sua produção, manuseio (desmoronamentos, entupimentos, etc), no entanto, seu sistema varia de acordo às tecnologias de instalação de equipamentos de processo de cada projeto.

No CICLO AMBIENTAL, além da captação ser simplificada, sem a necessidade de instalação de controles de análise de Metano em todas as linhas, geralmente acima de 90 em um aterro de 10MWh, o funcionamento da planta é flexível com o biogás disponível, permitindo até uma variação de 20% da capacidade nominal de biogás, quanto a sua eficiência ou quantidade disponível, sem que o processo sofra interrupção.

5)       Outros Fatores de Consideração

Aproveitamento de até 100% dos direitos de Créditos de Carbono, propiciado pelo aproveitamento total do biogás de aterro;
  Eficiência de geração no CICLO AMBIENTAL:  98% (dos 365 dias do ano).
Durabilidade dos equipamentos do CICLO AMBIENTAL:- Acima de 40 anos;
Todo o investimento do CICLO AMBIENTAL é realizado em moeda nacional (R$).
Para o CICLO AMBIENTAL: -Manutenção, engenharia, operação, reparações, expansões ou outras ações, são realizadas sem nenhuma importação ou outra exigência externa.